Consolidar os seus créditos – as vantagens

Um dos maiores erros para desestabilizar as finanças pessoais é contrair vários créditos, independentemente do rendimento do agregado.

Ao recorrer a vários créditos está a canalizar uma grande parte do seu orçamento familiar para o pagamento dessas prestações.

Nos últimos anos os rendimentos têm vindo a degradar-se e o custo de vida a aumentar em vários sectores, o que provocou uma enorme asfixia a inúmeras famílias Portuguesas, da qual não têm condições monetárias para pagar as despesas básicas mensais e as prestações bancárias dos créditos contraídos.

Uma das formas de agilizar a situação é consolidar todos os créditos num só, fazendo que fique somente a pagar uma única prestação mensal, aliviando de forma significativa os encargos com o financiamento.

Exemplo:

Crédito a A, B e C num valor total de 35 mil euros

Prestações:

  • A – 300€
  • B – 120€
  • C- 80€
  • Total: 500€

Após consolidar todos os créditos no banco Y ficou com um único crédito de 35 mil euros e uma única prestação mensal de 300 euros, o que significa um alivio de 200 euros mensais .

Em que situação se pode consolidar os créditos?

Qualquer pessoa que tenha mais que um crédito e sem incidentes bancários.

Créditos contraídos recentemente têm menos taxa de aprovação para consolidação por parte das entidades bancárias, isto porque existe menor margem de manobra seja com a prestação ou o prazo de financiamento.

Pessoas com incidentes bancários pontuais podem ver com sucesso a consolidação dos seus créditos, porém se existe incumprimento bancário e dívidas em mora, qualquer banco ou financeira reprovará consolidar os seus créditos a não ser que apresente uma boa garantia bancária com por exemplo um imóvel ou aplicação financeira que salvaguarde o financiamento por parte do credor.

Como verificar se devo ou ou não consolidar os meus créditos?

Se tem vários créditos e as prestações representam um enorme peso no final do mês, então pode e deve recorrer à consolidação de créditos para ter um melhor financiamento e adequado às suas actuais condições financeiras.

Ao consolidar os seus empréstimos está não só a obter um melhor financiamento, como também a salvaguardar passar de um cliente de risco e cliente em incumprimento.

Isto porque,  ao continuar sem consolidar os seus créditos, corre o risco de ter algum imprevisto e não ter meios para fazer face a algumas dessas prestações.

Logo, ao consolidar e ficar com uma única prestação e significativamente mais baixa do que as anteriores, está a diminuir a despesa mensal e a aumentar o rendimento, o que o torna mais saudável financeiramente.

Que opções tenho para consolidar os meus créditos?

Existe no mercado vários bancos e financeiras a oferecerem este produtos bancário. Independentemente da sua primeira escolha, opte sempre por uma simulação nos outros concorrentes para ter a certeza que escolheu aquele que lhe oferecia as melhores condições.

Vá preparado com a documentação e informação necessária para este tipo de produto:

  • Cartão de cidadão ou bilhete de identidade
  • NIF
  • Comprovativo de morada
  • 3 últimos recibos de ordenado
  • 3 últimos extractos bancários
  • Extractos de dívida ( extractos que comprovam o montante financiado e em dívida dos créditos que possui )
  • IRS e nota de liquidação

Nota: Em caso de ser dois proponentes , a documentação é exigida aos dois.

É uma mais valia apresentar:

É necessário fiadores ?

Dependerá de vários factores e entidade financeira. Dados com rendimentos bancários, montante das dívidas e avaliação de risco, são preponderantes para ser exigido ou não fiadores.

Em caso de lhe ser requisitado fiadores, é essencial apresentar a documentação acima referida dos mesmos, com a excepção dos extractos de dívida.

Existe desvantagem ao consolidar os créditos?

Não. Só nos casos em que tenha vários créditos mas falta muito pouco tempo para os pagar, é que pode não ser vantajoso consolidar, isto porque ao recorrer à consolidação de créditos, a entidade credora, vai financiar o valor global com uma prestação reduzida, o que significa que o prazo tem que ser maior.

Exemplo:

Imagine que tem 4 créditos e que paga por cada 100 euros, mas que no final de 5 meses, todos eles serão liquidados na totalidade.

Ao consolidar os seus créditos, a entidade crédito irá financiar o montante total e apresentar-lhe uma prestação à volta dos 200 euros, porém o prazo do empréstimo é de 24 meses.

Como pode verificar por este exemplo básico, nestas situações não compensa, mas em todas as outras as vantagens são mais que evidentes e é altamente recomendável que opte por consolidar os seus créditos de forma a ter um maior controle no pagamento dos seus empréstimos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.