Insolvência pessoal 2016

Pedir insolvência pessoal

Para quem acompanha O Endividado a algum tempo, sabe que nos dedicamos a artigos sobre endividamento, insolvências e dívidas e isto porque infelizmente ainda em 2016 existe muitas famílias Portuguesas a passarem sérias dificuldades económicas e assim sendo não conseguem no final do mês pagar os seus empréstimos contraídos no passado e pagar as despesas básicas no final do mês.

Existe a nosso ver 3 tipos de endividamento

1- Endividado sem incumprimento bancário

Nestes casos é uma pessoa ter vários créditos, pode ser crédito habitação, crédito automóvel, crédito pessoal ou outros e tem sérias dificuldades em pagar estes empréstimos ao final do mês conjuntamente com as despesas mensais.Mas apesar dos esforços consegue todos os meses fazer face a essas despesas, contudo não lhe sobra dinheiro nenhum no final do mês.

O que é aconselhado nestes casos?
O não ter entrado em incumprimento bancário é uma mais valia enorme, pois assim pode recorrer ao crédito consolidado e juntar todos os seus créditos num só. A vantagem de não estar em incumprimento é que a entidade financeira que lhe avaliar o seu pedido de consolidação de crédito, verá que você tem condições para pagar X na situação que está, então certamente poderá pagar Y [ sendo este um valor muito inferior] o que agiliza a aprovação do seu pedido de consolidação de créditos.

Na consolidação de créditos a vantagem é, tal como o nome indica, juntar todos os créditos num só, reduzindo substancialmente o valor mensal que canaliza para o pagamentos das prestações bancárias.
Existe muitos casos em que famílias têm vários créditos cujo montante das prestações era bastante elevado e conseguiram reduzir até 60% desse valor e isto tudo numa única prestação!

2- Endividado mas com incumprimento bancário

A situação aqui é mais complicada, tem vários créditos e incumprimento/atrasos no pagamento de prestações a um ou mais credores… Nestes casos a consolidação de créditos está praticamente fora de hipótese, porque nenhuma entidade financeira lhe ira consolidar os seus créditos tendo ” o nome sujo no Banco de Portugal”.

Dizemos praticamente fora de hipótese, porque existe raras excepções onde mediante excelentes garantias apresentadas pelos fiadores, algumas entidades financeiras façam a consolidação, mas claro que têm que ser muito boas garantias, para o banco se sentir seguro em caso de incumprimento, e nestes casos também é muito difícil encontrar um fiador que esteja disposto a ajudar com a garantia do seu património a alguém que está em incumprimento bancário, pois mesmo sendo familiares ou amigos, é sempre complicado confiarmos a 100% que tudo irá correr bem.

Nestes casos a “solução” passa ou por reestruturar todos os seus créditos, e isto, só é possível renegociando com cada credor um a um, de forma a aliviar a prestação mensal, em troca por exemplo de um prazo maior, ou em último caso e antes que lhe comecem a surgir as penhoras sobre o seus bens, submeter-se à insolvência pessoal.

Qual o mais aconselhado?

A insolvência pessoal a nosso ver é sempre a ultima solução a recorrer, pois isso deverá tentar a reestruturação dos créditos tal como referimos acima, se possível marque reunião com cada gestor e pessoalmente fale com e ele e tente uma solução.
Caso maioria aceite e mediante os seus rendimentos, pode ser a solução se efectivamente a sua taxa de esforço mensal ficar significativamente mais reduzida e ai já terá condições para fazer os pagamentos todos os meses.

E se não aceitarem a reestruturação dos meus créditos?

Então neste caso o caminho é a insolvência pessoal! Se tem vários créditos, incumprimento com os credores e não tem perspectivas financeiras que algo vá melhorar a muito curto prazo, então o melhor é contratar um advogado para pedir a sua insolvência pessoal, até porque se está em incumprimento e não regulariza as dívidas , as penhoras é uma questão de tempo para aparecerem.

fale com o seu advogado, explique detalhadamente a sua situação e inicie o processo de insolvência pessoal, ele irá ver qual o melhor caminho na insolvência, se um plano de pagamentos ou insolvência pessoal com a exoneração do passivo restante.

3- Endividado, com incumprimento bancário e penhoras

Neste caso o nome que se dá a estas situações é que você está insolvente! Logo aqui a única solução é apresentar-se á insolvência. Não deixe arrastar mais esta situação, com a insolvência pessoal acreditando ou não, tudo irá melhorar, primeiro as penhoras que existem são extintas, segundo porque é encontrada uma solução viável perante a sua solução e terceiro porque é de fato a única solução que existe nestes casos a não ser que vá receber alguma herança ou prémio em curto prazo que lhe permita solucionar todos os seus problemas financeiros.

One thought on “Insolvência pessoal 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.